qa4
Ambientación
Historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro,
1
2
3
4
5
6

Aula de controle mental e matearilazação de pensamento -1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Aula de controle mental e matearilazação de pensamento -1


First Class
Believe, is your greater power
Eu havia chegado a sala de aula como fazia todos os dias, todos os meses e todos os anos desde que tinha abandonado a minha vida de telepata imortal para ensinar um bando de crianças a usar suas habilidades. O que era exemplarmente patético, mas eu gostava, gostava de ensinar e ver quem em muitos séculos de existência sempre surgia alguém novo com habilidades a serem exploradas. E alguém potencialmente lerdo, a quem eu teria que dar umas boas surras mentais para aprender, mas que no final sempre se destacava dentre os outros.

Não posso dizer a você frases clichês de professor como: “ Eu vi alguns rostos, mas não me lembro deles” “Ainda não decorei os nomes”. É uma das vantagens de poder ler a mente de seus alunos e de ser um telepata com séculos de experiência, nunca esqueço de nada, nem uma vírgula, como eu digo aos meus alunos “Eu domino a minha mente totalmente, e potencialmente domino a de vocês também. Eu não estou aqui para ensinar levitação ou leitura de mentes, isso vocês aprendem nas três primeiras aulas. Eu estou aqui para ensinar-lhes a dominar a sua mente para que ninguém a domine por você”.
Bom, foi a minha primeira frase:

- Eu domino a minha mente totalmente, e potencialmente domino a de vocês também. Eu não estou aqui para ensinar levitação ou leitura de mentes, isso vocês aprendem nas três primeiras aulas. Eu estou aqui para ensinar-lhes a dominar a sua mente para que ninguém a domine por você.

Depois digo mentalmente: “ Meu Nome é Charles Richard Morgenstern. Todos podem me ouvir? Afirmem com a cabeça. ” =Todos fizeram que sim, então eu continuei. “Sou o professor de telepatia e artes mentais de vocês” Mexi o braço e todos eles se endireitaram na cadeira com colunas retas e olhando para mim “Isso só acontece porque eu desejei que acontecesse, a sua mente pode criar quase tudo. Embora eu creio que vocês não queiram que eu possa controla-los então controlem-se vocês mesmos e ninguém mais poderá fazer isso, física ou mentalmente...”
- Apresentem-se!

Thanks Tiago © 2013


Charles Richard Morgenstern
"My power is in my mind, literally"

Mensagem por Charles R. Morgenstern em Sab Jul 05, 2014 9:16 pm

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 20/05/2014
Idade : 37
Localização : Na sua mente

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aula de controle mental e matearilazação de pensamento -1





Let Me Think...

As coisas estavam avançando de forma relativamente boa, tudo num ritmo agradável e sem que eu me sentisse perdido no meio daquele suntuoso instituto ou me sentisse deslocado e sem grupo ou alguém para apoiar-me. A descoberta de eu possuir uma prima sem sombra de dúvidas fora esplêndida e estávamos nos dando bem; aos poucos, nossa amizade parecia fluir e usufruíamos de nossos poderes juntos, um ajudando o outro e assim, unidos, íamos avançando, descobrindo mais e mais nossos segredos, partilhando-os e criando um vínculo agradável. Naquele dia, em especial, eu estava um pouco tenso - mais que o habitual nervosismo de sempre -, afinal, era nosso primeiro dia de aula, e segundo boatos e pensamentos da maioria dos alunos o professor telepata não era lá o mais agradável. Puxei rapidamente fôlego para meus pulmões, prendendo-o lá dentro e olhando-me com desgosto frente ao espelho; jaqueta de couro negra, cachecol negro pelo frio típico da Alemanha e calça preta e social, assim como os sapatos negros de bico fino bem lustrados.
Peguei apenas um caderno grosso de capa dura e vermelha, afinal nenhum livro didática havia sido recomendado, então apenas engoli em seco e pensei que provavelmente as aulas seriam teóricas. Baixei a cabeça, sentando-me em minha cama, pensando no quão seria difícil não só eu adaptar-me à uma escola nova, com pessoas que eu não conheço, mas também seria difícil eu tentar compreender como ser um bom telepata. E se eu não fosse o telepata perfeito? E se meus conhecimentos não fossem suficientemente bons e minha experiência não fosse boa o bastante para Charles? Soltei um pequeno sorriso nervoso, lembrando que Charles lembrava-me Charles Xavier. Ok, pelo menos o meu professor Charles tinha cabelo e andava. Me pus então de pé e fui com passos largos e apressados para minha sala.
Sala 3. Abri a porta empurrando-a levemente e fechei após passar, percebendo um ou outro aluno por ali, e pelo visto ainda não haviam começado as aulas. Menos mal, pensei. Passei a língua pelo meu lábio inferior e caminhei tentando não tropeçar de nervosismo e sentei-me na segunda banca da segunda fila à esquerda sala. Cruzei as pernas e fui anotando meu nome, endereço - mesmo sem ser necessário - e o número da sala e o nome do professor. Fiz aquelas anotações apenas pra passar o tempo, logo avistei Rebekah e acenei com a mão direita, a caneta entre os dedos, exibindo um sorriso tímido retribuído da mesma forma, e logo ela se sentou à minha direita, na fila ao lado.
Quando Charles adentrou a sala rapidamente reconheci-o, não por vê-lo até demais nos pensamentos dos outros, nem os xingamentos por ele ser intrometido - intrometido para quem não era telepata e não sabia bloqueá-lo - e elogios por ele ser bonito. Mas por fim, o reconheci por ele ser absoluta e completamente bloqueado. Não conseguia ver nenhum resquício, nenhuma imagem, nem que fosse por fora, embaçada, ou o que seja, mas nada! Até mesmo na mente de Thomas que havia aprendido alguns truques com alguém - acho que era o próprio Charles, acho, e se fora, sorte a dele - eu ainda conseguia ver mínimos vestígios de pensamentos. Por fim, desisti visto o seu olhar meio agressivo, e pelo visto ele não era professor com total carinho e afeto.
Sua frase parecia quase filosófica, apesar de ser um pouco previsível, e ele acertou na parte de "controlar nossa mente", afinal ler pensamentos era fácil, mandar qualquer pessoa virar o rosto ou lhe obedecer era fácil, mas deixar de ler os pensamentos de alguém, criar elos entre pessoas, transferir memórias, controlar a levitação quando você explode e controlar todo o fluxo interminável de pensamentos era sem dúvida a parte mais difícil e que ninguém enxergava nos telepatas, afinal não nascemos preparados para tudo, não somos o professor Xavier. Ri baixinho e disfarçadamente, novamente a piada na ponta da língua. De repente senti um pequeno formigamento nas têmporas quando ele adentra em minha mente, e rapidamente tento imaginar um "vazio" inexorável e desagradável o suficiente para expulsá-lo. Droga, eu era tão privativo e isolado que devo ter ofendido Charles! Abri os olhos, sem nem lembrar de tê-los fechado, e observo todos os alunos parecendo também surpresos com a invasão.
Ele era nosso professor, disse seu nome, e lógico, assenti em compreensão. Lógico que ele pode entrar na cabeça de quem quiser, pensei, e logo tratei de endireitar-me na cadeira, apesar de pensar naquilo depois até perceber em alguns segundos que foi que ele que ordenara. Apresentação. Aquela detestável palavra surgira em minha mente, deixando-me pior do que eu deveria sentir-me, e eu baixei a cabeça esperando que os outros fizessem o mesmo na frente, e logo após diversos discursos - afinal alguns ali eram tagarelas - eu logo umedeci o lábio inferior, suspirei e olhei não muito feliz para Charles, na verdade eu tentava dar meu melhor olhar de gato pidão, mas ele ignorou. Bufei por dentro, ajeitando-me na cadeira e levantando-me hesitante, sem querer ir lá na frente.
- Hum, er... - pigarreei e enfiei as mãos nos bolsos. - Sou Vladimir Rivers, e vim de São Francisco, sou órfão e... ah. - droga, por quê citei "órfão"? Eu queria convencer a quem de que eu era um coitadinho? Suspirei, dando de ombros e tentando soar uma voz mais eloquente e confiante. - Bem, acho que é isso apenas. - falei sentando-me e abrindo o caderno anotando umas letras de músicas que eu lembrava-me, tentando fingir interesse.
Continuei fazendo aquilo pelo o que se pareceram horas, enquanto outras apresentações vieram. Troquei um olhar desesperadamente tímido com o professor e baixei a cabeça, esperando por mais lições.


Thanks for @Lovatic, Cupcake Graphics


Mensagem por Vladimir S. Rivers em Dom Jul 06, 2014 2:39 am

avatar
Telepatas
Telepatas

Mensagens : 15
Data de inscrição : 20/06/2014
Idade : 20
Localização : Norfoy Academy, Inglaterra.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aula de controle mental e matearilazação de pensamento -1

I'm sorry.
Um fato sobre o primeiro dia de aula no Norfoy era a ansiedade que Helena sentia sobre isso.
Mal havia dormido durante a noite, tamanho nervosismo, mas levantou-se cedo de sua cama, tomando um bom banho para manter-se acordada pelo rosto do dia. Fez sua higiene matinal rapidamente, lembrando a si mesma de que não era a única a usufruir do banheiro do dormitório. Vestiu uma calça jeans escura e uma blusa cinza consideravelmente para o seu tipo físico. Saiu do quarto arrumando sua mochila, já que não sabia como funcionava as aulas. Lendo as mentes das pessoas, seguiu-as até as salas de aula, encontrando a sua com extrema facilidade.
Sentou em uma das primeiras carteiras e esperou o professor chegar para dar a aula.
O professor de Helena era ninguém menos que o homem que falara com ela na noite anterior, o mesmo que informara ser seu avô. Seu choque era tanto por tal confirmação que mal escutara o que ele dissera, somente voltou ao normal ao ouvir a voz dele com perfeição dentro de sua cabeça.
Meu Nome é Charles Robert Morgenstern. Todos podem me ouvir? Afirmem com a cabeça.
Timidamente, Helena o fez.
Sou o professor de telepatia e artes mentais de vocês"
Charles mexeu os braços e todos os alunos sentaram-se corretamente em suas carteiras, inclusive Helena, que nem pensou ao fazer aquilo, ela nem queria que algo assim acontecesse.
Isso só acontece porque eu desejei que acontecesse, a sua mente pode criar quase tudo. Embora eu creio que vocês não queiram que eu possa controla-los então controlem-se vocês mesmos e ninguém mais poderá fazer isso, física ou mentalmente... Apresentem-se"
Levou um tempo até a morena conseguir focar sua mente e tomar coragem para se apresentar ao seu avô.
"Eu sou Helena. Helena Morgenstern, dezessete anos, filha de Louis Morgenstern."

© rufo from tpo

Mensagem por Helena Morgenstern em Sab Jul 12, 2014 11:38 pm

avatar
Telepatas
Telepatas

Mensagens : 8
Data de inscrição : 23/04/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aula de controle mental e matearilazação de pensamento -1

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado



Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum