qa4
Ambientación
Historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro, historia del foro,
1
2
3
4
5
6

Ficha - Natanael

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha - Natanael

Nome completo: Natanael Norvalho
Raça: Demônio.
Idade: Do tempo que Lúcifer foi jogado do céu ao Sheol (inferno) Faz as contas ai…
Progenitor: --
Local de nascimento: Céu e transmutação demôniaca na queda ao inferno.

Características Físicas: Sou sexe, corpo sedutor, cabelos negros, pele bronzeada, olhos escuros, e músculos definidos, o demônio dos incubus mais sexy.

Características  Psicológicas: Sou insano, atrevido, audacioso, ambicioso, gosto de mexer com o psicológico de minhas vitimas e seduzir as jovens a perdição.

Narração de minha origem e feitos:

O Principio

No inicio havia o nada, apenas uma densa e escura tela, no sétimo céu estava sendo em seu trono aquele que todos chamavam de Yahweh e em sua volta Ofanins sobrevoava louvando e tocando em seu nome, o homem se levanta e pede que a música tenha fim em seguida ordena que seus filhos mais poderosos entrem. Pela porta se ver entra cinco homens muito belos seus respectivos nomes era, Miguel, Rafael, Uziel, Gabriel e o jovem Lúcifer.

– Meus filhos é chegada a hora da criação de um novo mundo, nele viverá a minha mais bela criação. - Disse Yahweh

– Mas pai, nos não somos a sua perfeita criação? - Disse Miguel um pouco confuso.

– Tudo tem seu tempo, mas preciso de vocês para que retirem as criaturas que pairam sobre a tela para que eu possa fazer uma perfeita criação.

Os anjos por um momento excitaram em seguir a ordem, mas logo isto foi quebrado com os sons dos passos de Miguel até a porta e em seguida de seus demais irmãos.

Após longos mil anos os anjos voltam à sala de seu pai, mas por uma questão de destino quem sabe apenas quatro delas voltaram à casa do pai, que ao ver a falta de um deles exclamou indignado.

– Onde esta Uziel?

Cabisbaixo e triste Lúcifer disse.

– Ele morreu pai, morreu para me salvar. – Uma lagrima escore pelo rosto do anjo.

Yahweh caminha um pouco pensativo e estende a mão sobre a tela e uma onda de luz a enche por completo, massas de terra e água formaram um globo oval na tela, Yahweh sorri e diz:

– Foi iniciada uma nova era.

No dia seguinte os quatro anjos aguardavam novas ordens de seu pai que novamente caminhou para frente da tela ergueu a mão e novamente uma luz acertou a tela e foi criado na “Terra” o dia e a noite ao terminar Yahweh sorri. No segundo dia ele ergueu sua mão novamente sobre a tela e a luz voltou a brilhar sobre ela a água cobriu por completo o globo ao acabar Yahweh sorriu. No terceiro dia foi criada a separação da água e o lugar seco onde Yahweh denominou de “terra” e “mar” ordenou que sobre a terra brotassem arvores e plantas frutíferas e não frutífera, sobre o solo animais terrestres aos pares começaram a surgir e no mar do mesmo modo ao fim do dia Yahweh sorri. Os dias se passam e a criação esta quase terminada havia terra, água, comida e animais, mas Yahweh não estava satisfeito, então ele pegou um punhado de barro e o moldou a sua imagem e logo em seguida soprou em suas narinas e disse:

– Eis aqui meus filhos a minha mais perfeita criação, este é o ser humano ele é provido de alma e livre arbítrio eu o deixo seguir livremente, mas sempre vai haver um pedaço de mim neles e estarão destinados a vir a mim.

Todos os anjos concordaram com a cabeça.

Os dias foram passando e os balbucios entre os anjos não era outro a não ser sobre o boneco de barro, uns amavam a criação outros detestavam, contudo tinham que seguir ordens e não podiam se rebelar contra Deus.

– Eu convoquei vocês aqui para tratar de um assunto muito serio, eu não quero me curvar diante desses bonecos de barros e seu que vocês também não. Disse o Líder do grupo.

Todos em um som muito alto disseram.

– Também não! Apoiado!

Após longos minutos de discurso a assembleia se fechou e seu líder seguiu para a sala dos tronos onde deveria se encontra com seus irmãos. Ao chegar lá viu Miguel conversando com seu pai.

– Pai é isto que você quer? – Miguel nada ouvido além do vazio. – Preciso de você, me guie pai, pois tenho medo de errar.

Sons de palmas eclodem por toda a sala Lúcifer aplaudia Miguel com um eterno sarcasmo..

– Como eis tolo irmão, ele não lhe dar ouvidos só restou a nos guiar as legiões de anjos.

– Não diga uma bobagem dessa Lúcifer, nosso pai esta a descansar e uma hora irá acordar.

Lúcifer da uma gargalhada e olha para o irmão com desprezo, seu orgulho e inveja havia corrompido o doce e amável Lúcifer, que era conhecido como a estrela do alvorecer.

– Sabe que nos somos mais perfeitos que eles e que não precisamos nos curvar para eles, não é?

Miguel olha seu irmão dos pés a cabeça e balança a cabeça negativamente.

– Lúcifer como você pode dizer algo assim, nosso pai não gostaria nada desta sua atitude.

Em um grito de ódio Lúcifer berra.

– Mas ele não esta aqui! Não é?

Lúcifer deixa a sala sem dizer mais nem uma palavra deixando, assim, Miguel lá parado estático com as palavras de Lúcifer em sua cabeça.

Enquanto Miguel ficava meditando as palavras do irmão Lúcifer estava com uma legião de anjos pronta para atacar a terra a qualquer momento e exterminar toda a raça humana do globo e assim tomar para se o reino. Não sabia ele que Gabriel seu irmão, que era conhecido com o mensageiro já havia previsto toda a ação de seu irmão.

Gabriel entra na sala do trono e encontra Miguel levitando com sua áurea quase nula, com um estralar de dedos Gabriel faz o irmão voltar a si e diz.

– Você deve já ter sentido não é Miguel. Sabe do que ele é capaz.

Miguel olha nos olhos do irmão e com uma grande magoa.

– Sim eu sei, mas o que podemos fazer? Ele é nosso irmão e esses macacos só são bonecos de barro.

– Meu irmão eles são a ultima coisa que nosso pai deixou e ele nos confiou a segurança de cada uma deles, por isto enviei para cada um, um Ofanin para que lhe proteja.

– Um Ofanin? Se Lúcifer fizer o que esta previsto não restará mais nada.

Gabriel caminha pela sala e pensa por alguns minutos e olha para o irmão com muita sabedoria.

– Tem o porão, também conhecido como inferno, podemos manda-lo para lá e bani-lo para sempre dos céus.

– Você não seria forte o suficiente para derrubar nosso irmão, muito menos eu.

– Miguel, você é mais forte que parece, esta é a nossa única chance de impedir que algo terrível ocorra.

O anjo caminha pensando, mil coisas se passavam por sua cabeça, ele aceita a ideia do irmão e entra em meditação para aumentar suas forças e ir ao confronto final. Enquanto isso as tropas de Lúcifer já estavam prontas para descer a terra e destruir tudo que havia lá e a assim foi feito os 100 primeiros batalhões de anjos desceram a terra e começou a destruir tudo que havia lá, plantas, animais e principalmente seres humanos.

Enquanto na terra o massacre ocorria no céu à coisa estava bem pior Lúcifer ficou sabendo da conversa de Gabriel e Miguel e já estava pronto para o confronto com seu tão estimado irmão. Miguel chegou ao quarto céu, sua armadura dourada refletia o brilho do sol por todo seu peitoral, seus cabelos loiros esvoaçavam ao vento e seus olhos azuis brilhavam em uma cólera tão visível quanto sua pele branca, em sua calça estava embainhada a sua espada “A chama da morte”.

– Caro irmão eu esperava a sua chegada. - Disse Lúcifer com um sorriso malicioso em seu rosto.

– Como pode? Você traiu a mim a seus irmãos ao pai. - Falou Miguel.

Lúcifer se levantou o sol refletiu em sua armadura prateada e em seus cabelos negros bem arrumados, seus olhos verdes combinavam com uma barba que se formava em seu queixo e sua pele bronzeada, seus traços finos e bem definidos, ele era o ser mais belo em todas as castas de anjos, em sua calça estava embainhada a sua espada.

– Vou manda-lo para o Sheol.

– Você? Você e mais quantos? Você sabe que sou bem mais poderoso que você.

Miguel não conseguiu aguentar parado e partiu para cima de seu irmão e logo uma horda de anjos se formou ao redor para ver a batalha mais extraordinária do mundo. Miguel retirou sua espada, Lúcifer fez o mesmo, o tilinta das espadas era arrasador por todos os céus, nuvens negras começaram a se formar na terra e raios e trovões eclodiram por todo o céu. A batalha entre Lúcifer e Miguel durou mais de 800 anos, na terra os Ofanins fizeram o melhor que pode para proteger os mortais que morriam aos montes.

– Desista Miguel é chegada a hora de uma nova era onde nos tomaremos conta de tudo, deixaremos de ser subordinado a estes bonecos de barro.

– Não Lúcifer isso não é o que o pai queria, nunca foi, devemos obedecer.

Miguel aproveitou o descuido de seu irmão e usou seu poder oculto conhecido como golpe mortal e acertou bem em cheio a armadura de seu irmão que trincou e explodiu em milhares de pedaços, Miguel ergueu a chama da morte e disse.

– Adeus irmão. – Miguel fincou sua espada no chão e uma onda azul cobriu o corpo de seu irmão que começou a cair em um abismo sem fim, suas lindas asas brancas entraram em combustão e tornaram-se como as asas de um morcego seus lindos olhos verdes adquiriram a coloração avermelhada e por fim seu corpo caiu ao chão, com ele todos os rebeldes foram jogados ao Sheol, até mesmo os que atormentavam na terra, Lúcifer jurou vingança ao seu irmão e aos humanos. Todos os anjos que caíram com Lúcifer se tornaram demônios, alguns até mesmo duques do inferno.

Brasil - tempos atuais – São Paulo.

Era uma noite fria, uma pequena neblina cai e não havia nem uma pessoa nas ruas no céu uma esfera de fogo percorria todo, como uma linda estrela cadente, a esfera se choca com o chão e uma densa fumaça enche o lugar quando a mesma cessa vê-se um lindo homem, loiro, alto de olhos castanhos, pele clara e corpo bem definido usando calças jeans pretas, sapatos social e uma camisa branca com um jaleco caramelo sobre o mesmo, ele caminha com os punhos serrados  até uma linda mulher a mesma tinha cabelos negros como a noite, lábios vermelho sangue, pele branca como a neve, usava um lindo vestido negro e um salto alto agulha, as orbitas de seus olhos eram brancos e sombrios. O homem olha a mulher dos pés a cabeça.

– O que esta fazendo aqui Natanael? – Disse a mulher sedutoramente.

O homem bufa e com muita raiva disfere suas palavras contra a mulher.

– Não me venha com suas falsas palavras seu demônio imundo. Eu sei seus planos e sei que seu mestre lhe mandou aqui sua... – Ele respira fundo. – Decaída.

A mulher da uma risada sarcástica.

– Obrigado pelo elogio. – Ela faz uma cara de pura raiva. - Você não sabe nada sobre mim seu lixo alado.

– Lilith não me irite sabe que posso acabar com você apenas com um estralar de dedos.

– Você se acha mais forte do que eu? – Ela da uma gargalhada. - Nunca eu sou a eleita, a amada, a rainha do Succumbos.
O rapaz de punhos serrados a fita e diz
- Diga-me o que quer logo, não trabalho mais para Lúcifer aquele traidor.
Lilith rui ainda mais do demônio, ela caminha de um lado para o outro inquieta e maligna.
- Só venho lhe dar um aviso: Lúcifer o quer e não a onde se escoder, saiba disso.
Ao fim das palavras a demônio sumiu.



Glosario:
Sheol - O Inferno.
Ofanin - Raça de anjos.
Succumbos - Raça de demônios femininos da sedução.
Incubus - Raça de demônios masculinos da sedução.
Lilith - Rainha dos Succumbos.
Yahweh - Termo que se refere a Deus.
Bonecos de barro/Macacos - Termo referidos aos humanos.

Mensagem por Natanael Norvalho em Sex Jun 20, 2014 6:44 pm

avatar
Demônios
Demônios

Mensagens : 17
Data de inscrição : 15/06/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum